Aurea fortemente atacada por causa de papel em novela da SIC

Cantora sofre criticas

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Aurea fortemente atacada por causa de papel em novela da SIC

A cantora Áurea vai fazer parte do elenco da nova novela da SIC "Nazaré".

Mas esta escolha não agradou a Lucinda Loureiro demonstrou o seu desagrado  nas redes sociais, pondo em causa as habilitações da cantora, que não tem qualquer formação na representação.

"Fiquei parada numa publicação que anunciava a Aurea, a cantora, na nova novela da SIC, como atriz. Hesitei em escrever algo sobre isto. Vale a pena? Ignoro? Não por mim, que já sou sexagenária, mas pelas atrizes que têm formação em representação resolvi dizer o que me passa pela cabeça", começou por escrever.

"O que me inquieta é se houve casting para se chegar à melhor escolha? Se outras atrizes ou aspirantes tiveram a mesma oportunidade?"

"Se calhar estou a ser injusta e a Áurea já deu provas do seu talento na representação. E eu não dei por isso. Houve casting e eu também não dei por isso? Ou é mais uma vez a lei das audiências a funcionar? Ou é o perfil da personagem que precisa do talento da Aurea como cantora?", questionou.

Aos 31 anos, Aurea vai estrear-se na representação na nova novela da SIC onde irá interpretar "Nazaré". 

Outros artigos:

Atriz da SIC sofre com doença incurável

O programa da Cristina voltou a viver fortes emoções quando nesta quinta-feira atriz Alda Gomes não conseguiu conter as lágrimas ao revelar que tinha uma doença incurável. 

A atriz revelou o que teve de fazer para disfarçar as dores que tinha no corpo, fruto da artrite reumatóide, «doença crónica que não tem cura, nem melhora» e que lhe foi diagnosticada aos 30 anos.

«Não sei porque estou a chorar. Acho que me emocionei ao pensar no passado, eu aceito isto tão bem agora. A partir do momento em que aceito, estou a aceitar-me. A minha artrite está aqui, adaptada, faço uma vida completamente normal mas, ao recordar tanta peripécia, tanta ginástica para disfarçar, é que custa um bocadinho», disse a atriz, de 40 anos, confessando que temeu perder a sua carreira.

«Quando me apareceram os primeiros sintomas, eu estava a fazer uma novela na SIC, uma empregada de mesa que tinha de pegar em tabuleiros, copos, arrastar mesas e comecei a não estar bem, a ter muita dificuldade em disfarçar. Mas eu tinha de disfarçar, ninguém podia perceber. Tinha medo de ser despedida», adiantou, frisando: «Agora acho que foi errado pensar assim, mas pensei mais no meu futuro enquanto atriz, enquanto pudesse continuar a trabalhar em cinema, televisão, teatro, continuar a ter força, continuar a continuar a manter-me uma mulher bonita».

Foi no teatro que sentiu os primeiros sinais. «Comecei com muitas dores nas mãos, nos dedos… Dores como se tivesse entalado os dedos numa porta. Foi na mão direita e, no dia seguinte, na esquerda. Alastrou-se logo para os pulsos e, durante algum tempo, ficou por ali: pulsos e dedos», relatou.

Começou então a sua luta por um diagnóstico que a levou a ficar «intoxicada de informação» e a pensar no pior. Enquanto isso, tentava disfarçar o que muitos desconfiavam. «As pessoas que lidam com os atores fora das câmaras, como no guarda-roupa e maquilhagem, já percebiam que eu chegava curvada de dores», desabafou em O Programa da Cristina, admitindo: «Mas eu tinha medo de partilhar».

«Não sabia o que era a artrite reumatóide e pensei que podia ser uma coisa muito má. Lembro-me dessa sensação quando soube [o diagnóstico], o peso saiu-me das costas», contou, deixando claro que esse foi o ponto de partida para uma mudança interior. «É bom dizer o que tenho, que estou bem. Quando me disseram que tinha artrite reumatóide, o meu primeiro pensamento foi: ‘bora cuidar de mim, ‘bora olhar mais para mim do que da família inteira. Ainda hoje é assim, tenho de me focar mais em mim», considerou.

Cristina Ferreira elogiou a forma como Alda Gomes encara a doença, mas a atriz admitiu: «Não foi fácil. Dizem-me que os meus ossos se estão a destruir a pouco e pouco, as mãos, os pés, os joelhos, os ombros, tudo…».

Atualmente, toma medicamentos todos os dias e, uma vez por mês, submete-se a um tratamento no hospital, onde encontrou pessoas mais novas com o mesmo diagnóstico.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: www.flash.pt · Crédito foto: www.flash.pt