Quaresma é levado até à esquadra da polícia

​Notícia avançada pela página oficial da PSP

Partilhar no Facebook
617 617 Partilhas

Quaresma é levado até à esquadra da polícia

Notícia avançada pela página oficial da PSP

Ricardo Quaresma terá sido levado até à esquadra à esquadra da Polícia de Segurança Pública (PSP) do Parque das Nações. O objectivo desta "visita" foi o jogador explicar aos agentes como se fazem "trivelas".

Ricardo Quaresma surge muito sorridente na fotografia partilhada pela PSP,demonstrando que  alinhou na brincadeiras com os sete elementos da autoridade.

Outros artigos relacionados com Ricardo Quaresma:

Quaresma emocionado, faz revelações inéditas sobre a sua vida 

Ricardo Quaresma foi o convidado do programa "Alta Definição" e abriu o coração ao revelar o que sentiu quando com apenas 4 anos viu o pai sair de casa.

O jogador da seleção nacional assume-se que foi uma criança feliz, teve amor por parte da mãe do irmão, mas recorda uma infância dificil.

Com apenas 4 anos, deixou de ter contacto com o pai, durante dois anos: «É complicado [lidar com a ausência de um pai]. Quando vês os outros pais a irem buscar os filhos aos treinos é complicado», «Não queres saber os 'porquês' [da ausência], queres ter um pai e pronto» revelando que se tornou numa criança revoltada.

Hoje vive o presente, mas não esquece o passado. No entanto diz estar feliz com os pais que tem, e consegue ter uma relação fantástica com o pai, apesar de ter estado ausente dois anos. Este voltou a estar presente na sua vida graças a um primo que lhe mostrou uma notícia que falava dos sucessos do jovem atleta. 

Nessa altura o jogador e o irão voltaram a ver o pai:«Foi estranho. Já não o via há algum tempo, mas um pai é sempre um pai», explicou. Na altura o pequeno abraçou e beijou o pai  «Não fazia sentido outra coisa», hoje não o julga e desde que o pai voltou, nunca mais lhe falhou com nada.

Na infância, Quaresma esteve exposto a situações complicadas, vivia no "Casal Ventoso". No entanto essa vivencia fez com que moldasse a sua personalidade, ficou mais forte  com carácter e segura dos seus objetivos. 

«Fez-me abrir os olhos. Já vi muita coisa. Vi muita coisa que te puxa para maus caminhos, mas resume-se a teres cabeça ou não. Tens de decidir o que queres da vida», explicou. 

Eternamente agradecido à mãe por todo o amor e sacrifício, o jogador garantiu, contudo, que felizmente os seus filhos não vão ter de passar por certas situações que foi sujeito. «Aquilo que eu passei, os meus filhos não vão passar, nem que eu desse a volta ao mundo (...) Não vão precisar de viver dentro de um bairro nem de ver muita coisa que eu vi».

Partilhar no Facebook
617 617 Partilhas

Fonte: www.novagente.pt · Crédito foto: www.novagente.pt