É bem conhecido que os nazis fizeram coisas horríveis, mas poucas pessoas sabem que fizeram isto ...​

Existe alguma coisa horrível que os nazis não fizeram?

Partilhar no Facebook
47 47 Partilhas

A IIª Guerra Mundial marcou a história e continua a ser um grande trauma para muitas pessoas. Foi um reinado de terror em que a Alemanha nazi eliminou aqueles que não se encaixavam na sua visão do mundo: judeus, ciganos, deficientes, homossexuais, comunistas ... todos foram deportados para campos de concentração ou mortos nos campos de extermínio.

Em 12 anos, mais de 6 milhões de pessoas foram mortas, um terrível banho de sangue que não devemos esquecer. Não houve moralidade em tudo isso, e não é nenhuma surpresa que nos campos de concentração, os nazis tinham bordéis com escravas sexuais. 

Mulheres, consideradas como objetos para satisfazer os prazeres dos homens, que não era, só dedicadas a soldados da Wehrmacht, desde 1942, alguns prisioneiros poderam "beneficiar" destes bordeis. Uma maneira assustadora de recompensar aqueles que se comportavam e trabalhavam bem.  

E com alguns prisioneiros especialistas em áreas como a construção, os nazis decidiram melhorar a sorte deles, pagando-lhes desta forma.

15 minutos com uma escrava sexual valia dois Marcos, enquanto que um maço de cigarros custava três. E esses bordéis também foram usados como terapia de conversão para levar os homossexuais à heterossexualidade, forçando-os a ter relações sexuais. 

As mulheres eram tratadas como gado, alimentadas e vestidas pelos nazis. Apenas a posição missionário era autorizada e os "clientes" eram testados previamente para não passarem doenças sexualmente transmissíveis.

Eles eram submetidos a exames médicos regulares. O cansaço fez-lhes geralmente perder as funções reprodutivas, no entanto, aconteceu que algumas engravidavam, elas eram obrigadas a abortar. Quando estavam muito fracas ou doentes, elas eram enviadas para o campo de extermínio. 

Estas escravas sexuais eram geralmente mulheres acusadas de prostituição ou terem contato com o inimigo. Outras eram voluntárias, vendo-o como uma forma de sobreviver aos campos. Nenhuma deles era judia, e os judeus não podiam tirar proveito desses serviços. Alguns livros falar sobre 34.000 prisioneiros sexuais em vários campos.

Partilhar no Facebook
47 47 Partilhas

Fonte: ayoye · Crédito foto: ayoye