​Médico chama “paranóica” mãe, momentos depois a filha de 6 anos morre

Menina morreu por descuido do médico

Partilhar no Facebook
612 612 Partilhas

Médico chama "paranóica" mãe, momentos depois a filha de 6 anos morre

Kirsty Ermenekli de  32 anos, levou a  sua filha de 6 anos, Layla-Rosem, às  emergências porque a menina estava muito quente,tinha dores e sentia-se muito doente. 

Já no hospital, a filha começou a ter febre muito alta e teve uma contusão no quadril.

"Parecia que tinha passado uma interinidade quando o médico apareceu algumas horas depois", diz Kirsty.

Finalmente, a filha foi examinada, mas o médico ignorou a marca no quadril porque era uma contusão. E a febre? Foi apenas uma infecção de um vírus comum.

Assim sendo o diagnostico estava feito e o médico mandou a mãe e a menina para casa.

Mas a pequena não se sentia melhor. Assim que chegaram em casa, a situação da menina piorou. 

Kirsty retornou ao hospital novamente com a sua filha. E ela morreu oito horas depois de chegar ao hospital.

A mãe  processou os médicos e foi aberta uma investigação no hospital Royal Oldham.

"Questionaram porque estive na sala de espera durante tanto tempo e porque a menina não foi examinada. Eu sentiam que me olhavam como se eu fosse "paranóica" e os médicos pareciam indiferentes à minha situação. Não me deram nenhuma informação sobre a situação da minha filha. Eles deveriam ter ajudado minha filhinha muito mais cedo ", diz a mãe ao  Daily Mail.

A autópsia de Layla-Rose revelou que ela morreu de meningite e envenenamento do sangue. A investigação interna no hospital mostrou que havia indicações claras da falta de uma revisão adequada e diagnóstico do paciente.

"O médico que tratou a paciente inicialmente não notou a marca de hematoma e, portanto, não foi documentado naquele momento. Isso levou ao envenenamento do sangue não foi detectado durante as  três horas e meia, e, portanto, não poderia realizar os tratamentos correspondentes ", escrevepu o hospital.

Apesar dos muitos "desculpe" recebidos por Kirsty, ninguém vai devolver a filha.

"Ninguém conhece crianças melhor que seus pais. Agora estou mais paranoica do que nunca. Eu pensei que estava nas melhores mãos ", diz a mãe.

Descanse em paz, anjinho! 

Devemos confiar na maioria dos médicos, mas, como em todas as carreiras profissionais, há sempre alguns que não fazem bem o seu trabalho. Não desista até que eles lhe dêem os cuidados de saúde que você ou seu filho merece. 

Partilhar no Facebook
612 612 Partilhas