Um menino sem pele tem tanto medo de morrer que se recusa a ser curado

Para ele, o procedimento não vale o risco.

Partilhar no Facebook
365 365 Partilhas

Jonathan Gionfriddo é um menino de 17 anos com epidermólise bolhosa, uma doença genética também conhecida como "doença de borboleta" porque a pele de pessoas com ela se torna tão frágil quanto as asas de uma borboleta.

As pessoas que têm epidermólise bolhosa não vivem mais de 30 anos.

"É tortura, tanto mental como fisicamente", disse o adolescente que mora em Stafford Springs, Massachusetts. "Eu sou frágil por fora por causa da doença da pele, mas por dentro sou ainda mais fraco". 

Os médicos tentaram convencer Jonathan a passar pelo tratamento, mas ele tem medo de morrer na mesa de operações. 

Para ele, o procedimento não vale o risco. 

Os médicos organizaram uma reunião com Jonathan e Charlie Knuth, um menino de Minneapolis de 11 anos que se submeteu à cirurgia. 

Cinco anos atrás, Charlie recebeu uma doação de medula óssea que liberou células-tronco para curar o corpo por dentro, um novo tratamento radical que já fez provas.

Em algumas semanas, a pele de Charlie melhorou.

É impossível dizer hoje que ele foi um dos piores casos de epidermólise bolhosa. 

O encontro com Charlie mudará a opinião de Jonathan? Somente o futuro nos dirá!

Aqui está uma reportagem sobre este jovem:

Partilhar no Facebook
365 365 Partilhas

Fonte: ayoyemonde · Crédito foto: ayoyemonde